Pacific Drive

Review: Pacific Drive – Recalibrando os pneus

Pacific Drive começa como uma experiência promissora, mas se perde complicando demais as mecânicas

Pacific Drive

Pacific Drive acerta na ambientação e no estilo de jogo, mas peca em tentar ser muito punitivo em um mundo hostil

Pacific Drive tem uma premissa incrível. Devo dizer que gosto desse conceito de jogos mais alternativos, e a exploração da península consegue ser uma aventura divertida, até o jogador encontrar algum tipo de problema que pode escalar ao ponto de prejudicar completamente a jogabilidade.

O título de estreia da Ironwood Studios pega o jogador pelos ares da série Além da Imaginação, mas acaba focando demais em tentar entregar uma mecânica punitiva, com um mundo que é bastante hostil e não te oferece possibilidades de reconstruir caso algo dê errado.

Leia mais

Deixando tudo para trás

No jogo, o motorista acaba sendo levado a se aventurar pela Zona de Exclusão Olímpica, uma área cheia de radiação e anomalias bizarras. Cabe ao jogador explorar o local ao lado do seu carro, enquanto busca por respostas e uma forma de sobreviver aos problemas crescentes nesse local hostil.

Por isso, é necessário sempre se preparar extensivamente antes de sair com o carro por aí, e sempre tomar cuidado ao explorar os locais, se não, é bem capaz de tudo dar errado. Como, por exemplo, foi o meu caso duas vezes.

Pacific Drive

Mesmo com tudo certinho, um pequeno problema ao volante e a coisa pode desandar de vez. Com isso, todos os recursos são perdidos, o carro acaba ficando em um estado catastrófico para ser reconstruído na garagem, o único ponto seguro do jogador.

No entanto, caso tenha gastado todos os seus recursos e tenha ido em uma excursão para garantir itens a mais para uma viagem mais trabalhosa, infelizmente, a coisa se torna desoladora, já que nenhum dos itens que você trouxe consigo, retornam com o jogador.

Isso acaba sendo um transtorno, principalmente caso alguma coisa dê errado durante a excursão pelo local, e acredite, existem vários pontos do jogo que querem que as coisas deem errado. Pacific Drive é bem punitivo como jogo de exploração, mas também é interessantíssimo de se explorar.

Derrapagem na curva

O carro, é o melhor amigo do jogador nessa aventura, e por isso, sempre tem que estar em boas condições. Por isso, boa parte da jornada por recursos, é focada em melhorias para o carro e mantê-lo funcionando durante a jogatina.

Melhorar a lataria, um motor melhor, novas funcionalidades, tudo gira em torno do carro. No entanto, algumas mecânicas do jogo em si, acabam deixando algo que deveria ser um gerenciamento de recursos divertido, em uma situação um pouco massante.

Pacific Drive

Não sou contra jogos que não tem ensinam as coisas e deixam o jogador livre para aprender, mas no caso de Pacific Drive, ele não faz questão de contar nada. Tive um problema com o carro, que precisei usar um dos itens para tentar acertar o que estava de errado com o veículo, e caso não descobrisse, acabavam as chances de poderia ter problemas.

Entendo que para muitos, as pessoas estão pulando de alegria com essa situação, e eu entendo. Jogos desafiadores são maravilhosos, mas quando ele também te entregar as ferramentas para superar essa mecânica complicada. Os padrões de ataque em Dark Souls existem por esse motivo, por exemplo.

Pacific Drive

Aqui, em Pacific Drive, quase nada é explicado, e quando é, se atrela somente ao uso das ferramentas de exploração. Teve problemas com o carro, mas não sabe como resolver? Se vira, ninguém mandou se aventurar por aí.

Outra coisa que me deixa um pouco desgostoso, é a mecânica de que caso precise sair antes de completar a exploração de uma área, todo progresso será perdido. Entendo que os desenvolvedores usem isso para evitar que jogadores “roubem” na progressão, mas no caso dos mais atarefados, fica complicado.

Quem busca algo para jogar rapidamente, ou precisa sair por um motivo externo, todo o progresso é perdido, tornando a situação extremamente exaustiva para quem tem que parar a jogatina para fazer a janta, por exemplo.

Calibrando os pneus

Pacific Drive tem uma mística interessante por trás do jogo. A história me cativa o suficiente para querer continuar avançando e tentando entender o que aconteceu na Zona de Exclusão Olímpica, na mesma proporção que o abuso das mecânicas de sobrevivência deixam a jogabilidade exaustiva.

Não dá para negar que Pacific Drive é um jogo que chama a atenção pela ambientação, pela música, pela forma como a história é contada, mas também não tá para negar que fica difícil de querer voltar ao título caso as coisas saiam de controle em uma saída que deu algum problema.

Pacific Drive

Além isso, como cada vez que o jogador retorna a um dos locais, a escala de perigos e situações aleatórias se modificam, tudo acaba tornando-se uma aventura caótica e que, em algumas vezes, até mesmo um pouco estressante caso não tenha muitos recursos.

O looping da jogabilidade acaba mostrando um certo sinal de cansaço, caso o jogador fique horas ali tentando conseguir recursos pelas estradas da Zona de Exclusão Olímpica. Para os fãs do gênero de sobrevivência, o “grosso” da mecânica de Pacific Drive pode ser massante.

Trocando de motor

Pacific Drive é um jogo que vale a pena, caso o jogador seja apaixonado por carros, assim como o caso dos membros da equipe da Ironwood Studios. Contudo, como jogos de sobrevivência acabam caindo sempre em um looping de mecânicas repetitivas, o título infelizmente não foge dos problemas do gênero.

Pacific Drive

E para agravar a situação, Pacific Drive não dá direito ao jogador de conseguir se reconstruir dignamente caso queira voltar com força total para a exploração, já que caso tenha perdido todos os itens, o máximo que conseguirá são alguns itens básicos da “lixeira amiga” que cospe itens que podem ajudar.

Ainda assim, esses recursos não são de longe o suficiente para conseguir uma retomada efetiva na exploração, e o jogador precisa ser muito preciso nas escolhas e no gerenciamento de itens e recursos para conseguir passar ileso pelos desafios.

As opções podem ser desativadas, mas boa parte da jogabilidade acaba perdendo a graça, já que o bacana é tentar sobreviver. O que deixa a situação um pouco difícil para quem não tem tanto tempo para investir em uma incursão que pode demorar uma hora, e caso saia, perde todo o progresso.

Vale ou não a pena jogar Pacific Drive?

Apesar dos pesares, Pacific Drive é um jogo bem sólido na sua premissa, e gostei de jogá-lo em boa parte do tempo. Algumas coisas o tornam um pouco cansativo de se jogar em longas horas, mas como a campanha é curta, em torno de 14 horas, o jogador consegue engatar um pouco na jogatina, fazer algo rápido e mudar para outro título.

Pacific Drive

Quer tentar zerar tudo em um final de semana? É bem provável que você acabe perdendo a paciência tendo que fazer uma série de processos para conseguir fazer tudo no título, mas a ambientação, as mudanças de elemento e também o carro, sendo um baita companheiro para o protagonista, compensam a mecânica exaustiva.

No final, o saldo é positivo, principalmente para um jogo de um estúdio iniciante, que está lançando o primeiro título agora. Caso seja fã do gênero de sobrevivência e também curta dar um rolê de carro por aí, Pacific Drive é a pedida perfeita.

Pacific Drive está disponível para PlayStation 5 e PC.

Review feita no PlayStation 5 com cópia cedida pela Theogames


A Game Arena tem muito mais conteúdos como este sobre esportes eletrônicos, além de games, filmes, séries e mais. Para ficar ligado sempre que algo novo sair, nos siga em nossas redes sociais: TwitterInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em PC

1

PC

Star Wars Outlaws: Ubisoft responde as críticas ao Passe de Temporada do jogo

2

PC

Hades 2: Saiba como solicitar acesso ao Teste Técnico e requisito mínimos

3

PC

Hazelight: estúdio de It Takes Two deve anunciar “coisas novas” ainda esse ano

4

PC

Fallout: Bethesda revelou os atributos dos personagens da série

5

PC

Alan Wake: fã compra 4 mil cópias do jogo mas nenhuma funciona