Tekken 8

Review Tekken 8: o retorno do rei

Gameplay, gráficos, história, modos de jogo... Tekken 8 tem tudo!

Tekken 8

Um pacote completinho faz de Tekken 8 o principal nome dos jogos de luta no momento

Nos últimos meses, os fãs de jogos de luta foram agraciados com novas versões dos principais games do gênero. Depois de Street Fighter 6 e Mortal Kombat 1, chegou a vez de Tekken 8 abrir as asas e voar pelo mundo.

Leia mais:

E a chegada de Tekken 8, por mais que tardia em relação aos concorrentes, serviu para reforçar a ideia de que “leve o tempo que for, mas entregue algo perfeito”. Um mantra que deveria estar incrustado no desenvolvimento de games em toda a indústria.

Tentando não entregar logo de cara o restante do review, e depois de passar algumas boas dezenas de horas no comando de Asuka e companhia, chegou a hora de trazer o meu veredito sobre Tekken 8.

A História

Tekken 8

Os eventos de Tekken 8 têm início logo após o apoteótico encerramento do jogo anterior, com a morte do icônico vilão Heihachi Mishima.

Com isso, o “trono de maldade” da franquia passou a ser ocupado por Kazuya, que dá prosseguimento a sua interminável treta com o próprio filho, Jin.

Em Tekken 8, Kazuya cria um torneio global em que a nação vencedora passará a ter controle total do planeta, enquanto as perdedoras serão punidas de maneira brutal e mortal.

Sem dar spoilers, na minha opinião, a história de Tekken 8 é excelente, mantendo o jogador sempre entretido e curioso sobre o que irá acontecer na sequência, e, principalmente, contada de uma maneira que entrega uma mistura ideal de cutscenes e gameplay.

E aqui eu senti uma referência bem grande do que Mortal Kombat vem entregando nos últimos jogos, tanto em formato de história, como na possibilidade bem alta de vermos uma expansão sendo lançada mais para frente, uma vez que o final… ah o final…

O Gameplay

Tekken 8

Falando daquilo que mais importa em jogos de luta, o gameplay de Tekken 8 é uma evolução em relação ao anterior, mesmo que não dê saltos tão grandes ou longos de diferença.

Logo de cara, quem jogava Tekken 7 verá que os combos estão bem mais “singelos”, sem as infinitas sequências de golpes que praticamente depenavam a vida do personagem sem dar chance de reação.

Mas a principal novidade no gameplay de Tekken 8 é o Heat System. Trata-se de um novo recurso que funciona como um estado temporário em que o lutador ganha algumas vantagens para tentar superar o adversário.

A primeira dela é a possibilidade de causar dano no inimigo mesmo que ele esteja defendendo. É muito parecido com o “chip damage” de outros jogos de luta.

Além disso, o Heat System abre novos golpes e possibilidades de combo para o personagem, e ainda entrega um ataque poderoso que pode ser aplicado a qualquer momento enquanto a barrinha azul abaixo da de vida possuir carga.

Outro recurso novo em Tekken 8 é a possibilidade de recuperar um pouco de vida após o adversário causar dano, em um esquema que lembra o que acontece em Bloodborne.

O jogador precisa ser agressivo logo após ser atingido para reaver uma fração da vida perdida, o que ajuda bastante a aumentar a duração dos combates e a possibilidade de se virar uma batalha que possa parecer perdida.

Mas, no geral, o gameplay de Tekken 8 ainda funciona bastante dentro do formato tradicional da série, o que é algo extremamente positivo para quem já é apaixonado pela franquia, e um incentivo para quem está pensando em conhecer.

A Trilha Sonora e os Gráficos

Tekken 8 Josie

O trabalho feito pela Bandai Namco com os gráficos de Tekken 8 é algo arrebatador. O nível de qualidade visual que temos no game, seja em cutscenes, seja no gameplay, é de se aplaudir de pé.

E aqui estou falando não só dos modelos de personagens, que, sim, são incríveis e realistas, mas dos próprios cenários. Cada batalha acontece em locais extremamente detalhados, que parecem saltar da tela em alguns momentos.

Vale lembrar que Tekken 8 é o primeiro jogo da franquia a ser lançado exclusivamente para os consoles da atual geração, então a liberdade das amarras do PlayStation 4 e do Xbox One permitiram à Bandai Namco entregar um resultado final brilhante na parte visual.

Entrando na parte sonora, como de costume, a trilha escolhida para acompanhar os combates de Tekken 8 é de arrepiar. Nos momentos mais decisivos de cada batalha ela parece subir alguns tons para refletir a dramaticidade que vemos na tela.

Os efeitos sonoros que identificam cada ação nas arenas também são excelentes, ajudando a aumentar a sensação de imersão que temos nas lutas.

Por fim, a dublagem é um ponto muito alto. Algo que sempre ocorreu na franquia é o fato de não termos uma única língua sendo falada pelos personagens, e sim, dialetos de cada país representados pelos lutadores.

No modo história isso é ainda mais divertido quando vemos personagens de diferentes países conversando, cada um falando em uma língua, mas todos se entendendo perfeitamente.

Modos de Jogo

Tekken 8

Além do incrível Modo História, sobre o qual já falei um pouco acima, Tekken 8 ainda entrega outras opções para os jogadores, tanto offline, quanto nas aventuras online.

Por exemplo, o Missão Arcade funciona como uma espécie de história secundária no game, no qual criamos um personagem do zero, e vivemos em um mundo diferente do que abriga a trama principal de Tekken 8.

É uma experiência que pode servir mais como uma forma de “limpador de paladar” para ser utilizada entre sessões mais longas do gameplay principal de Tekken 8, e que visa recriar o feeling dos fliperamas e do universo no qual eles era protagonistas alguns anos atrás.

O modo Arcade é mais uma opção para quem quer apenas enfrentar a CPU em lutas diretas, e ainda entrega uma cena final particular para cada personagem, logo após uma batalha derradeira contra um rival específico para cada lutador.

E antes de falar da parte online, é com um prazer imenso que abordo um último modo offline, e um que me prendia por horas na época do Tekken 3: o lendário Tekken Ball.

Sim, ele está de volta, oferecendo tudo que o original tinha em termos de gameplay, mas com algumas novidades e se aproveitando do visual absurdo de Tekken 8 para entregar uma experiência sensacional.

Agora, sim, entrando na parte online, Tekken 8 oferece uma experiência bem padrão para jogos de luta, com opções mais casuais e outras voltadas para a galera mais focada na competitividade.

O mais importante é que, de todo o tempo que passei testando o online, tive uma experiência sem problemas de conexão, os servidores funcionaram perfeitamente, e, especialmente, o rollback netcode funciona de maneira inacreditável de tão bem.

Conclusão

Tekken 8

Tekken 8 supera bastante o que o jogo anterior, que já era excelente, entregava, e assume com folgas o posto de melhor jogo da franquia.

A combinação surreal de gameplay empolgante, gráficos realistas, história cativante e modos de jogo para todos os gostos entregam o pacote mais completo dos jogos de luta no momento. O trono tem um “novo velho rei”.

APROVEITE PARA CONFERIR OS VÍDEOS E O CANAL DO YOUTUBE DA GAME ARENA. NESTE VÍDEO, PENSO SE AINDA VALE LANÇAR PERSONAGENS DE DLC EM JOGOS DE LUTA:


Game Arena tem muito mais conteúdos como este sobre esportes eletrônicos, além de games, filmes, séries e mais. Para ficar ligado sempre que algo novo sair, nos siga em nossas redes sociais: TwitterYoutubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Análise Game Arena

1

Análise Game Arena

Review Skull and Bones: água na canela

2

Análise Game Arena

Review: Jujutsu Kaisen Cursed Clash – Era melhor ter ido ver o filme do Pel… Yuta!

3

Análise Game Arena

Review – The Prince of Persia: The Lost Crown

4

Análise Game Arena

Chessarama Review: uma ótima forma de conhecer o Xadrez

5

Análise Game Arena

Review Persona 5 Tactica: O coração da revolução