Jujutsu Kaisen Cursed Clash

Review: Jujutsu Kaisen Cursed Clash – Era melhor ter ido ver o filme do Pel… Yuta!

Infelizmente, Jujutsu Kaisen Cursed Clash falha em muita coisa, apesar de trazer alguns acertos interessantes

Jujutsu Kaizen Cursed Clash

Após alguns meses de espera, finalmente recebemos o Jujutsu Kaisen Cursed Clash. Baseado no mangá e anime criados por Gege Akutami, é inegável dizer que a série é uma das mais amadas e “hypadas” pelo público em muitos anos.

Quando foi anunciado em 2023, a grande maioria dos jogadores já apostaram no fracasso de Jujutsu Kaisen Cursed Clash simplesmente por ser um Arena Fighter, estilo muito comum na grande maioria dos jogos baseados em animes.

Jujutsu Kaisen Cursed Clash

Fizemos até uma pequena prévia do que poderíamos aguardar do game (que você pode ler aqui), onde fazia algumas apostas para os possíveis pontos positivos do jogo. Infelizmente, eu estava muito errado.

O jogo nem de longe entrega algo digno do sucesso da série, trazendo um produto com diversos problemas. Ao que parece, a desenvolvedora Byking parece ter corrido para entregar o jogo, trazendo algo com um péssima jogabilidade, defeitos grotescos de game design é um material bem datado.

Jujutsu Kaisen Cursed Clash não é ruim por ser um Arena Fighter

Primeiro, precisamos contextualizar um ponto importante. Para muitas pessoas, os jogos de anime são problemáticos e de qualidade inferior justamente por serem arena fighters. Entre os diversos motivos estão as repetições e mecânicas datadas e simplórias.

Felizmente, temos alguns títulos que provam que os Arena Fighters baseados em animes tem potencial, a exemplo dos títulos das séries como Dragon Ball Xenoverse ou Naruto Ultimate Ninja Storm.

Jujutsu Kaisen jogo anime

Também temos aqueles que oferecem um trabalho mediano, com problemas mas que chegam a entreter os jogadores (em especial os fãs dos animes em que são baseados). Aqui temos exemplos como o recente Demon Slayer.

Porém, o mesmo não podemos dizer de Jujutsu Kaisen Cursed Clash. As desenvolvedoras Byking e Gemdrops falharam de uma maneira incrível no desenvolvimento e finalização do jogo. As esperanças dos fãs em verem um material de qualidade foram “amaldiçoadas” (aquele trocadilho maroto com “cursed”) e sem chances de sobrevivência.

O jogo traz lutas de 2×2 com um total de 16 personagens jogáveis, sendo a maioria trazidos da primeira temporada e do filme “Jujutsu Kaizen 0”. Os controles são muito confusos, necessitando de um certo tempo de aprendizado.

Tempo esse que seria melhor otimizado se tivéssemos um tutorial decente dentro do jogo, o que não acontece. O que realmente temos é uma breve introdução aos comandos, algumas dicas e pronto.

Jujutsu Kaisen Cursed Clash literalmente manda o jogador “se jogar” e aprender na base do sofrimento como utilizar os comandos e realizar os melhores combos. Algo bem complicado, em especial devido a um dos poucos pontos positivos de Jujutsu Kaisen: Cursed Clash.

São poucos personagens, mas com muitas diferenças entre eles

Uma coisa que podemos defender é que Jujutsu Kaisen Cursed Clash trouxe uma grande variedade de mecânicas dentro do jogo. Mesmo com um elenco reduzido de 16 personagens (algo abaixo da média para arena fighters de anime), cada um deles traz elementos que os tornam únicos.

Jujutsu Kaisen Cursed Clash

A lista de personagens dentro do game é a seguinte:

  • Hanami
  • Jogo
  • Kento Nanami
  • Mahito
  • Maki Zen’in
  • Megumi Fushiguro
  • Nobara Kugisaki
  • Panda
  • Ryomen Sukuna
  • Satoru Gojo
  • Suguru Geto
  • Toge Inumaki
  • Yuji Itadori
  • Yuta Okkotsu

Cada um deles possui estilos próprios de combate. Megumi Fushiguro, por exemplo, é um personagem equilibrado com ataques de longa, média e curta distância.

Já Yuji Itadori é um brawler, com um foco maior em combates corpo a corpo, mas com um pequeno ataque de chutar uma pedra no adversário para ter um ataque especial.

Essa variação de cada personagem traz um adicional interessante ao jogo, onde podemos explorar cada um deles até encontrar uma gameplay que o agrade. Somando as opções de ataques combinados entre as duplas, a exploração dos estilos pode ir ainda mais longe.

Infelizmente, o título não ajuda em nada ao jogador. Não existe qualquer descrição decente sobre as habilidades e poderes de cada personagem, tendo que o próprio jogador sair experimentando (e sem um tutorial ou modo treinamento de qualidade).

Jujutsu Kaizen Cursed Clash

Apesar da variedade de estilos nos personagens, as animações dos golpes não acompanham este acerto. As poucas cenas envolvendo os golpes especiais entre os personagens dizem respeito apenas ao que encontramos no anime.

Se você, por algum acaso, misturar uma dupla que nunca tenha se encontrado na série, você só verá uma interação simplória de um jogando o adversário de um lado para o outro como uma bola de vôlei.

LEIA MAIS

É preciso paciência para vencer as partidas e aguentar os defeitos de Jujutsu Kaisen Cursed Clash

Apesar do modo história trazer algumas situações diferenciadas nos objetivos de vitória, o modo de jogo casual e multiplayer online de Jujutsu Kaisen Cursed Clash possui como principal objetivo a vitória por pontos.

Aqui temos os times disputando nas arenas do jogo na busca por derrotar a maior quantidade de vezes os membros da dupla adversária. Aquele que derrubar os inimigos pelo menos cinco vezes é consagrado o campeão.

Mas diferente de um jogo de luta tradicional, o jogador precisa ter muita paciência e ir aos poucos elevando seu nível e barra de energia para especial. Não é muito eficiente gastar energia e tempo tentando derrubar o inimigo cedo.

O mais fácil e coerente é acumular energia suficiente para “estourar a barra”, fazendo o personagem convocar uma habilidade ou arma especial, ou até mesmo adquirir uma nova forma.

É algo muito comum nos jogos Arena Fighter baseado em animes e aqui tudo se repete. Em resumo, lute até sua barra ficar cheia, exploda e use sua nova habilidade especial adquirida para massacrar o adversário.

Infelizmente, foram poucas as partidas no modo online que consegui participar (talvez por falta de jogadores). Mas aquelas em que participei, os adversários espertinhos utilizavam os defeitos da arena como pontos cegos para se esconder, enquanto usavam o outro membro da dupla como isca.

Ao se concentrar na isca, ele acumulava energia suficiente para assumir a nova forma ou habilidade e partir para cima com tudo, destruindo tudo e todos.

Os mais espertos também utilizavam os recursos de “travar” a câmera nos adversários para ficar saltando e mexendo de um lado para o outro como um NPC louco, dificultando a visualização ou marcação dos ataques.

Se não fossem esses defeitos “básicos”, as partidas seriam muito mais divertidas!

Ou seja, o jogador adversário usa um bug de câmera em seu favor para derrotar o jogador adversário. É algo extremamente frustrante e sem sentido. Claro que nem todas as partidas foram assim, mas a mera possibilidade disto acontecer mostra o quão falho foi o desenvolvimento e conclusão de Jujutsu Kaisen Cursed Clash.

Quer visualizar a história de Jujutsu no Game? É melhor ler uma página de Wiki…

Agora um erro muito grave do game está em seu modo história. Os bons (e até os medianos) jogos Arena Fighters baseados em anime trazem um modo história legal, com resumos interessantes e algumas cenas capturadas dos animes.

Jujutsu Kaisen Cursed Clash tenta seguir a fórmula, trazendo uma recapitulação da primeira temporada e do filme em quase 6 horas do modo história. 

O grande problema aqui está no fato de que o jogo traz breves recortes do anime em “prints” das principais cenas, com muito texto para explicar cada momento. Entretanto, são poucas as cenas animadas ou até mesmo dubladas (no aúdio japonês ou inglês).

Assim, você se verá seguindo por uma infinidade de linhas de diálogos simplórios e desnecessários em diversas ocasiões. Por sorte, o texto está com localização para o português do Brasil, tornando a leitura mais agradável.

Jujutsu Kaisen Cursed Clash Yuta

Porém, não deixa de ser maçante e chato aquele apertar interminável para passar dezenas de diálogos entediantes. É muito melhor tentar pular todos e ler um breve resumo de cada momento em uma página de Wiki de Jujutsu Kaisen. Se você já assistiu ou leu, pode pular os diálogos sem medo.

Para tentar agradar os caçadores de itens e visuais, os desenvolvedores trouxeram o chamado gráfico de relacionamento. Nele, vemos as ligações entre cada personagem. Ao aumentar o relacionamento entre eles (geralmente jogando com as duplas reveladas no gráfico), o jogador aumenta o grau de relacionamento entre eles.

Fazendo isso, é possível desbloquear cenas específicas do anime por meio de histórias curtas e desbloquear novos itens cosméticos para adquirir na lojinha do game. Funcionou em outros jogos de anime, mas não é o caso aqui.

Se você vê a mesma cena nos golpes de interação entre os personagens, qual o sentido de investir em diversas partidas com a dupla? Tudo isso por um item cosmético simplório (já que os mais legais fazem parte de pacotes de DLC)… Meio sem sentido investir tempo nisso.

Não é um AAA nem de longe…

Nos dias de hoje, temos diversas opções de plataforma para jogar. Assim como muitos jogos da Bandai Namco, Jujutus Kaisen Cursed Clash foi lançado para praticamente todos os consoles e PC.

A versão de teste que utilizamos foi do Xbox Series X. Nela, demorava bastante para encontrar adversários (isso se encontrávamos) para partidas online. Vendo vídeos de gameplay de plataformas como Nintendo Switch e PS5, vi que eles também sofriam com a falta de jogadores no online.

Qual o recurso mais utilizado para acabar com este problema hoje em dia? Cross play! Algo simples que nem ao menos foi cogitado pela Bandai Namco para o lançamento deste game. Bola muito fora…

Os menus de Jujutsu Kaisen Cursed Clash também são algo que temos que falar… São medonhos! Parecem mais com um menu de DVD do início dos anos 2000, com cenas do anime passando ao fundo.

Confira o vídeo abaixo e tire suas conclusões:

Também é muito difícil encontrar o que você quer neles. Nas partidas offline, por exemplo, a seleção dos personagens é feita pelos NOMES deles, e não com uma tela de seleção de personagens com fotos… Qual o sentido disso?

Para jogar uma partida multiplayer local, por exemplo, você precisa ir no “modo multiplayer online” dentro do jogo e escolher. Como é que pode uma desenvolvedora nos dias de hoje fazer algo assim…

Por isso, devo informar que o game nem de longe alcança as expectativas dos fãs em ver uma adaptação decente de Jujutsu Kaisen. Em especial pelo preço cheio de um jogo AAA (por volta de R$ 350), sendo que o mesmo apresenta diversos problemas, dando um aspecto de “inacabado”.

Muita coisa é solucionável com bons upgrades, mas não acredito que foquem nos problemas mais graves. Uma pena, pois o jogo tinha grande potencial.

Logo, Jujutsu Kaisen Cursed Clash é outro Arena Fighter Genérico que reforça o estereótipo de que “Todo jogo de anime é ruim”, espalhado por tantos por vários anos.

Jujutsu Kaisen Cursed Clash está disponível para PlayStation 5, PS4, Xbox One, Xbox Series X/S, Nintendo Switch e PC (Steam).

*Review realizada com cópia para Xbox Series X fornecida pela Bandai Namco


Game Arena tem muito mais conteúdos como este sobre esportes eletrônicos, além de games, filmes, séries e mais. Para ficar ligado sempre que algo novo sair, nos siga em nossas redes sociais: TwitterInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Análise Game Arena

1

Análise Game Arena

Preview – Solo Leveling: ARISE – O anime de sucesso virá um jogo mobile

2

Análise Game Arena

Review Princess Peach: Showtime! – Jogue como uma princesa

3

Análise Game Arena

Review Dragon’s Dogma 2: uma jornada épica que não é para todos

4

Análise Game Arena

Review: Mario vs Donkey Kong – Revisitando um sucesso do passado de maneira incrível

5

Análise Game Arena

Review Skull and Bones: água na canela