Fallout 4

Como rejogar Fallout 4 piorou Starfield

Além de revisitar Fallout 4 ter sido um saldo positivo, ele acabou "piorando" Starfield para mim

Como rejogar Fallout 4 piorou Starfield

Voltar para Fallout 4 me fez entender ainda mais as críticas a Starfield

Aproveitando o hype da série de Fallout, resolvi voltar ao quarto jogo da franquia para jogá-lo mais uma vez. Como é o mais moderno da saga de jogos, e com um computador mais potente do que antes, resolvi voltar a me aventurar pela Commonwealth mais uma vez.

No entanto, algo me chamou muito a atenção revisitando as primeiras horas do jogo, e infelizmente, deixou um gosto ainda mais amargo na minha boca ao lembrar do mais recente título da Bethesda, Starfield. A dupla de títulos não possuem muita diferença entre si, mesmo tendo 9 anos de diferença entre eles.

Leia mais

A guerra e o espaço nunca mudam

Olhando em retrospecto, eu já havia publicado um texto comentando sobre como Starfield é muito um jogo da Bethesda, para bem ou para mal. No entanto, ao revisitar Fallout 4, eu percebi que muita coisa que estava presente nesse jogo, está também no RPG especial e resolvi falar sobre isso mais uma vez.

Ângulos de câmera, estrutura de aventura, muita coisa é próxima do que está presente em Starfield, que querendo ou não, é de 2023. Existe um salto grande entre um jogo de 2015 para um jogo de quase uma década depois. Contudo, Starfield não consegue realizar esse salto, e parece preso não em 2015, mas em 2008.

A árvore de habilidades de Starfield é bem próxima da de Skyrim, e os ângulos de câmera ao conversar com os personagens, são muito próximos dos de Fallout 4. Chegou a ser bizarro, voltar para o jogo de 2015 e constatar isso. É surreal como deixamos passar tanta coisa, por carinho às experiências passadas com o estúdio.

Bottom 5 - Starfield

Sabe aquele meme do garoto arregalando os olhos com as mãos na cabeça? Então, eu fiquei exatamente assim. É surreal comparar os dois e perceber que nada mudou. Precisamos ser justos e dizer que algumas semelhanças eram óbvias de acontecer, por ser identidade do estúdio.

O sentimento é de “copia, mas não faz igual”, sabe? É basicamente o que acontece com os dois jogos. São muitas coisas parecidas para dois títulos com tanto tempo de distância, e isso fica parecendo extremamente prejudicial.

Os adiamentos contribuem

Precisamos ser justos com a Bethesda. Starfield era para ter saído antes, e sendo sincero? Bem antes. A data original do jogo ser lançado era 2022, mas ele já havia aparecido em 2018 em uma E3. Se o jogo tivesse sido lançado em 2019, ou até mesmo 2020, talvez não tivesse tido tanto problema.

Starfield

No entanto, o jogo saiu apenas em 2023, depois de alguns adiamentos, segundo a Bethesda, para polir o título e resolver alguns problemas com bugs. Os bugs continuaram, e parece que o título precisava de muito mais tempo.

Parece que a empresa está focada em fazer projetos tão gigantes, que a parte de resolver os erros que aparecem no caminho fica em segundo plano. Como a comunidade — e posso me incluir nisso — sempre foi conivente com os vários bugs dos jogos da Bethesda, ela meio que entendeu que isso seria um passe livre para fazer o que quiser.

Presa na década de 2010

Parece que a Bethesda atingiu o pico com The Elder Scrolls V: Skyrim. Por mais que Fallout 4 seja divertido, ele é uma proposta bem diferente do terceiro jogo, que recebeu todos os elogios possíveis, e com razão, além de premiações de jogo do ano.

Skyrim e Starfield

Com Skyrim, foi o mesmo, e parecia que a Bethesda não conseguiria mais errar. No entanto, a desenvolvedora não conseguiu ainda dar o passo além da sua própria fórmula, ficando presa no mesmo estilo, com as mesmas mecânicas.

Starfield e Skyrim

Não me leve a mal, eu gosto muito dos jogos da desenvolvedora, mas acho que todos temos que ter um ponto ao observar para entender que a empresa não está mais entregando como antigamente, e que talvez uma mudança de estilo precise acontecer.

Antigamente, poderíamos dizer que isso seria uma limitação da época, mas até mesmo para esse período, as coisas são escabrosas. Mas a empresa sempre teve uma passagem de mão na cabeça, por ser tão querida por todos os seus mundos interessantes.

Starfield é o filho problemático de uma família complicada

O problema é que Starfield nasceu datado. É uma amálgama de ideias recicladas da Bethesda, vendido como se fosse algo completamente inovador, mas não é. Infelizmente, muito do que vemos no RPG espacial, é o sintoma dos problemas da desenvolvedora voltando do bueiro, como se fosse um cano entupido que estourou e não para de vazar.

Starfield erro ao atirar

Pelo tamanho das coisas, a Bethesda deveria ter muitos desenvolvedores a mais trabalhando em seus jogos. Um artigo da Kotaku destrinchando o lançamento horroroso de Fallout 76, coloca em perspectiva a situação.

No entanto, a Bethesda dificilmente é um estúdio independente. Uma fonte disse: “A Bethesda é uma grande empresa que pensa que é uma empresa pequena”, com uma mentalidade de “bem, isso funcionou nos anos 90, então vamos continuar fazendo”.

E não existe melhor definição. Infelizmente, esse estúdio que tanto amamos, está completamente sem ideias, e retornar a Fallout 4 e me divertir muito mais com um jogo de 2015 do que com um jogo de 2023, mostra bem os problemas que a empresa possui.

Starfield

Com muita coisa para fazer em um jogo só, é bizarro como a Bethesda conseguiu se complicar na própria fórmula, finalmente evidenciando algo que estava na nossa frente faz tempo: A desenvolvedora parou no tempo e não quer avançar.

Seria um problema de Todd Howard como diretor dos jogos? Será que o mentiroso mais querido dos games não tem mais a mesma magia de antigamente? Parece que sim. Por mais que gostemos da persona caricata de Howard, talvez seja hora dele focar em produzir mais coisas do que dirigir.

Porque se The Elder Scrolls VI for mais um repeteco, é de se considerar uma reformulação forçada no estúdio. Não dá para continuar vendo a Bethesda errar e deixar ela correr solta mais uma vez.

Com informações de: Kotaku


Game Arena tem muito mais conteúdos como este sobre esportes eletrônicos, além de games, filmes, séries e mais. Para ficar ligado sempre que algo novo sair, nos siga em nossas redes sociais: TwitterYouTubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Colunas

1

Colunas

Guia de CoD: as melhores classes de fuzis de batalha no Warzone (Temporada 4)

2

Colunas

Final Fantasy 16: vale a pena jogar as DLCs?

3

Colunas

Por que as empresas não se importam com preservação histórica de games?

4

Colunas

Guia de Ultimate Team: TOTS da LaLiga reverencia a incrível temporada de Vini Jr.

5

Colunas

Hades 2: como aumentar o Domínio Arcano de Melinoe?