Counter-Strike 2

ESL S19: jogador da Monte detalha experiência no Rio e ida ao Maracanã

Jogador da Monte, ryu esteve no Rio de Janeiro para disputar o GET Rio na última semana

ESL S19: jogador da Monte detalha experiência no Rio e ida ao Maracanã

Foto: Divulgação/Monte

A Monte estreia pelo Grupo C da ESL Pro League Season 19 nesta terça-feira (30) contra a FORZE Esports. Às vésperas da partida de estreia, o jovem Gytis “ryu” Glušauskas conversou com a Game Arena e falou sobre as expectativas para o torneio e a experiência que teve no Brasil há uma semana.

LEIA MAIS:

Isso porque tanto o jogador quanto o time estiveram presentes no GET Rio e tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a cidade, além de visitar o Maracanã. Os jogadores da Monte foram convidados para assistir à partida entre Flamengo e São Paulo e viram de perto o futebol brasileiro.

Ryu exaltou a Cidade Maravilhosa e destacou qualidades como praias e ótimos restaurantes. Por mais que tenha definido a experiência como “agradável”, não deixou de enxergar erros na organização do torneio, que ficou marcado por polêmicas.

“Praia muito bonita, pessoas adoráveis, ótimos restaurantes e, no geral, foi uma experiência agradável. No Geral, foi uma boa experiência. Os brasileiros são super apaixonados por coisas assim, como o futebol. É bom sentir a multidão. Foi eletrizante estar lá”, revelou ryu.

Por mais que tenha vindo do time de base da Monte e não esteja acostumado com grandes competições, isso não impede ryu de saber o que é um bom torneio de Counter-Strike. Sobre o GET Rio, o jogador revelou que não gostou da desorganização, mas disse que parte da staff trabalhou duro para compensar a bagunça dos organizadores.

“Todo o torneio teve atraso de algumas horas e falhas técnicas. Partidas tiveram que ser adiadas. No geral, staff e tudo mais, foi super legal. A desvantagem foram os atrasos, mas isso é esperado de uma organização não tão experiente”, afirmou.

Adaptação no profissional e expectativa para a Pro League

Tanto ryu quanto a Monte precisarão se acostumar com o fato de que o elenco passou por uma reformulação, o que pode tornar a ESL Pro League ainda mais difícil. Entretanto, esta também é a oportunidade do jovem da Lituania mostrar que possui cacife para um grande torneio de Counter-Strike.

Ainda se adaptando ao alto nível competitivo, ryu afirmou que não demorou para perceber que a adaptação seria difícil. Após meses de treinamento eles ainda têm coisas para acertar, segundo o jogador.

“Fui recentemente promovido ao time principal. É claro que jogar aqui é um nível mais alto, principalmente se comparado com o Academy. Mas acho que está demorando para se adaptar, para me acostumar com os caras e seu estilo de jogo. Mas, no geral, acho que está indo muito bem”.

Consciente de que a Monte não é a mesma que incomodou grandes equipes há poucos meses, ryu parece não se cobrar muito em relação aos resultados. Por mais que deseje chegar aos playoffs, ele sabe que o Grupo C possui equipes que podem dar trabalho e dificultar essa trajetória.

“Acho que o nosso objetivo na Pro League é chegar o mais longe possível, ir para os playoffs e assim por diante. Nosso grupo é um dos menos fortes se comparado aos Grupos A e B. Ainda há equipes fortes aqui, mas sim, acho que temos uma boa chance de chegar aos playoffs”, revelou ryu.


Assista também nossos vídeos. Neste aqui conversamos com bit, que explicou a troca de liderança no time de CS2 no MIBR entre ele e nak:

Siga a Game Arena nas redes sociais: TwitterYouTubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Counter-Strike 2

1

Counter-Strike 2

CCT Finals: paiN perde para ANKAL na estreia

2

Counter-Strike 2

CS2: arT revela propostas internacionais e o porquê do Fluxo

3

Counter-Strike 2

CS2: fnx expõe condições para luta contra pasha

4

Counter-Strike 2

CS2: “não voltarei como jogador”, fnx anuncia aposentadoria

5

Counter-Strike 2

BetBoom Dacha: MIBR perde mais uma e está eliminado