Análise

Review | Zet Zillions: um roguelite de cartas diferenciado

Desenvolvido pelo brasileiro OTA IMON Studios, Zet Zillions é uma grata surpresa para quem busca um desafio extra

Zet Zillions

Quando recebi Zet Zillions para realizar a análise, confesso que segui com zero expectativas. Muito devido aos problemas que encontrei jogando Wolfstride, jogo anterior do mesmo estúdio, o brasileiro OTA IMON.

Não que Wolfstride seja ruim, longe disso. O grande problema é que a versão que experimentei foi para dispositivos móveis, que estava recheado de problemas técnicos e de gameplay quando experimentei como um dos títulos do Crunchyroll Game Vault.

Mesmo com esse espinho chato de repulsa prévia cravada em meu coração, segui para Zet Zillions. Posso dizer que o OTA IMON Studios conseguiu arrancar toda e qualquer negatividade que tinha e me surpreendeu entregando um surpreendente roguelike de cartas com aquela pegada de “anime” que tanto amamos.

Ao invés da inspiração em animes de robôs gigantes e Cowboy Bebop que inspiraram Wolfstride, agora temos algo mais original, com insanidades que parecem saídas de obras do estúdio Trigger como Gurren Lagan ou Kill La Kill.

Aqui, precisamos batalhar contra estrelas e planetas revoltados, em combates que envolvem cartas e diversos recursos como fusões, destruição de escudos e, o principal: a colonização com o lixo espacial que compõe sua tripulação.

Algo muito parecido com o que encontramos em jogos com Slay The Spire, mas com novas mecânicas interessantes que surpreendem, mesmo com uma dificuldade acima da média.

Indo aonde nenhum louco jamais foi!

Zet Zillions

Em Zet Zillions, somos responsáveis pelo comando da nave-planeta Baby Violence. Além de você, a tripulação é formada por Foam Gun, Dok e Ziggy. Após a destruição da Terra, o objetivo principal é lutar pela sobrevivência da humanidade, que precisa fugir do misterioso monstro espacial Thanatos e encontrar um novo planeta para morar.

E é isso. Sem grandes reviravoltas na história. O objetivo aqui é a diversão no gameplay, com combates contra planetas inimigos, exploração e estratégias para montar e melhorar seus decks através de conquistas ao longo da jornada. 

Em resumo simples, Zet Zillions é um roguelike de cartas. Temos nosso primeiro baralho inicial que será melhorado à medida que conquistamos novos cards, com diversas habilidades e efeitos em cada uma delas.

Algumas funcionam como destruidoras de escudos, outro como buffs ou debuffs de atributos e várias delas como povoadores de planetas. Sim, seu principal objetivo é destruir planetas inimigos através da super população. Assim, os malditos enviados para a superfície acabam destruindo os recursos do planeta, ajudando na destruição do mesmo nos combates.

É uma mecânica familiar de jogos de cartas roguelike, mas com um tempero especial que traz um sabor adicional ao que já encontramos em títulos como Slay the Spire, por exemplo. 

Monte sua tripulação, digo, deck com loucas cartas de Zet Zillions

Zeti Zillions

Como todo bom card game, temos a opção de montar nosso deck / baralho de acordo com as cartas adquiridas após batalhas, abertura de baús (na forma de estações abandonadas, estrelas cadentes, etc.) e evolução de outras cartas.

A moeda de Zet Zillions é representada por abacaxis (eu realmente não entendi o motivo), os quais adquirimos durante a exploração do mapa espacial de cada área, derrotando planetas e vendendo cartas obsoletas. Também existem missões extras, a exemplo de uma participação em reality shows e entrevistas, onde conquistamos novos abacaxis.

Um dos grandes atrativos de Zet Zillions é a fusão de cartas. No meio dos combates, temos várias opções de unir duas cartas em uma só. Por exemplo, temos uma carta de “cidadão lixo” que pode ser fusionada com o “unicórnio”, formando assim a carta “Cavaleiro de Unicórnio”. Uma ‘vibe’ bem Yu-Gi-Oh, vale frisar. 

Difícil, mas não impossível

Como todo bom roguelike, quando morremos, regressamos a um ponto específico, muitas vezes para o início da jornada. Um desafio que adiciona uma tensão a mais, em especial porque os eventos no mapa estelar são aleatórios, 

Zet Zillions também permite a evolução dos personagens da nave-planeta através de pontos de experiências conquistados, desbloqueando novas habilidades e opções de cards para os jogadores.

Devo confessar… Zet Zilions é muito difícil, mas não impossível. Sofri bastante nas primeiras meia hora do jogo, morrendo em batalhas simples e não gerenciando adequadamente os pontos de vida da nave-planeta Baby Violence.

O pior é ser perseguido por Thanatos, o estranho inimigo em formato de mão que te segue por todos os mapas, também evoluindo de acordo com seu progresso. Quando você menos espera, precisa fugir e caçar pontos de recuperação de vida para sobreviver a uma investida do voraz inimigo.

E Zet Zillions é um game curto, com cerca de 3 horas de jogo (eu gastei umas 4 devido às diversas mortes). Apesar de desafiador, o jogador aprende e se adapta a cada retorno, equilibrando estratégias de ataque e defesa, montando o deck de acordo com seu estilo de jogo.

Com um fator replay elevado, o jogo oferece diversas opções de inimigos e de cartas para deixar o jogador entretido com várias possibilidades, algo muitas vezes negligenciado em jogos do tipo roguelike.

Mas ainda que a rejogabilidade seja alta, algo comum em roguelikes, esse elemento também pode ser frustrante devido ao fato de ter que fazer várias tentativas para liberar novas cartas.

Pequenos problemas técnicos

Como mencionamos acima, Zet Zillions possui um visual “ANIMEsco” que agradará diversos jogadores, com design de cartas, monstros e personagens ricos em pequenos detalhes.

Porém, com a proposta de ser um jogo rápido, não espere grandes variações. Temos diálogos em telas de estilo visual novel que podem entediar diversos jogadores, em especial pela falta de personagens além dos membros da tripulação da nave-planeta. 

A trilha sonora é boa, apesar da pouca variedade de faixas e travamentos pontuais durante a transição entre telas.

A versão que testamos trouxe pequenos problemas e bugs como travamentos nos menus e batalhas, mas bastante pontuais. Provavelmente, boa parte destes problemas serão consertados em breve.

Leia mais

Zet Zillions, uma grande aventura do brasileiro OTA IMON Studios

Mesmo seguindo o básico dos jogos estilo roguelike de cartas, Zet Zillions se destaca em algumas mecânicas diferenciadas que agradam bastante pela criatividade. Vale reforçar que é um jogo bastante curto, com uma média de três horas de duração.

Porém, a simplicidade do game oferece um fator replay incrível, que pode virar um bom passatempo para aquela tarde chuvosa entediante. Isso, claro, se você tiver nervos de aço para aguentar um monstro-mão-espacial te perseguindo pelo mapa enquanto luta pela vida.

Zet zillions

* Com imagens da Steam.
** Este review foi produzido com uma cópia antecipada para PC (via Steam) fornecida pela Raw Fury.


Game Arena tem muito mais conteúdos como este sobre esportes eletrônicos, além de games, filmes, séries e mais. Para ficar ligado sempre que algo novo sair, nos siga em nossas redes sociais: TwitterYouTubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Games

1

Games

Prime Day | Mortal Kombat 1, Super Mario RPG, The Quarry com até 75% de desconto

2

Games

Prime Day | PlayStation 5, Nintendo Switch e Xbox Series com desconto

3

Games

Baldur’s Gate 3: sétima atualização não será a última e Larian promete mais novidades

4

Games

Mortal Kombat 1 revela trailer de gameplay de Takeda Takahashi

5

Games

Call of Duty Black Ops 6: Multiplayer não terá função ‘odiada’ do Cold War