A FURIA CHEGOU!

IEM Katowice: yuurih, sobre o torneio: “É o mais difícil para nós”

Em exclusiva direto da Polônia, yuurih analisou campanhas da FURIA e quer fazer diferente neste início de 2024.

yuurih

Foto: Game Arena.

Em exclusiva direto da Polônia, yuurih analisou campanhas da FURIA, falou sobre adversário e rasgou elogios a FalleN

Yuri ‘yuurih’ Santos foi o primeiro jogador entrevistado pela equipe de cobertura da Game Arena na IEM Katowice 2024 de Counter-Strike 2 (CS2). Direto da cidade polonesa, o jogador da FURIA concedeu uma exclusiva falando sobre o torneio, em uma primeira parte da entrevista.

Para yuurih, a IEM Katowice é o torneio “mais difícil”, por ser sempre o primeiro. Ele afirma que a pressão no time é maior do que em outros campeonatos e que os times adversários chegam “mais quentes”, pois disputam a BLAST antes.

“Katowice é sempre o campeonato que eu acho mais difícil para gente, porque é o primeiro, então sempre temos um pouco de tempo ali, duas semanas no mínimo. E como a gente não joga a BLAST, que é o campeonato que todo mundo joga, os times já vêm um pouco mais aquecidos”, afirmou o jogador.

 

Mas tudo depende também de como nos preparamos nos treinos que faremos. Se os nossos treinos estão muito bons a gente sabe o que fazer, e o que muda ali é um pouco a pressão. Como todos os campeonatos, têm um pouco de pressão. E pro pessoal que já jogou um campeonato antes é melhor. Mas acho que isso não muda muito não, quando se está em alto nível. O que vai mudar mesmo é o que você se preparou para fazer. E estamos nos preparando um pouco a mais para Katowice porque a gente nunca teve resultados bons aqui no começo do ano. Então esse ano a gente quer fazer diferente”, completou.

Yuurih ainda comentou sobre como é lidar com essa pressão de estrear na temporada em um grande torneio como a IEM Katowice 2024 e o quanto isso impacta na sequência do ano.

“Bate um pouco porque ele é o primeiro do ano. Então, se você deixar levar o sentimento de derrota ali, você acaba não jogando os outros muito bem. Ou você pega de aprendizado e vai jogar os outros porque é só o começo do ano. Então, tem os dois lados, entendeu?

 

O que a gente veio fazer esse ano é realmente jogar melhor do que a gente veio jogar nos últimos anos. A gente tem que jogar melhor. Nos preparamos bem e queremos mostrar os resultados que não tivemos antes.” – contou.

LEIA MAIS:

O adversário de estreia da FURIA, a TheMongolz, também foi avaliada por yuurih. A equipe foi algoz da própria FURIA na última edição da competição.

“Os dois times são muito bons. A TheMongolz jogam na Ásia e tem outro nível de jogo, mas a gente não é bobo também, nem eles. Vamos nos preparar bem e focar mais no nosso, não no deles. Porque é começo de ano, então não tem muito o que ver dos caras. Esses campeonatos no começo do ano tem que ser focado no seu time. Você não pode ficar brisando muito, pensando no que o outro vai fazer. Porque pode vir um monte de coisa diferente. O estudo de jogo tem que ser um pouco mais para nós, fazer o que a gente vem fazendo.

 

Independente do adversário, a gente não pode vacilar, não podemos dar mole nenhum. Porque o CS2 tá muito diferente, qualquer coisa hoje em dia no alto nível está difícil. Então, pode ser qualquer time que a gente tem que dar o nosso máximo ali. Tem que fazer o que a gente vem fazendo.” – avaliou.

Perguntado sobre a importância de ter Gabriel ‘FalleN’ ao lado nesses momentos de pressão, yuurih exalta o jogador, mas ainda mais o ser humano por trás do player.

“Eu sempre admirei o FalleN. Quando comecei a jogar, acompanhava tudo dele, copiava tudo dele. Agora tive a oportunidade de conhecer realmente mais o Gabriel, Porque o FalleN a gente já conhece muito. O Gabriel é um cara sensacional. Como fico mais próximo dele, sempre estamos conversando sobre o jogo ou alguma coisa. Então, a gente sempre está junto, fazendo alguma coisa”, revelou yuurih sobre o lado mais humano de FalleN.

 

“Para o time, tem sido muito importante também, passando a experiência que ele tem. Principalmente para o arT, com algumas ideias que o arT talvez não tenha. Então, acho que para todo mundo ele está sendo muito importante. Estou gostando muito. Acho que o time todo mundo está gostando. Ele é um cara muito de boa, muito receptivo e vem nos ajudando muito”, concluiu agora falando da parte competitiva.

Por fim, yuurih ainda deixou um recado para a torcida brasileira, dizendo que é uma honra poder representar novamente o Brasil e ainda adicionando que 2024 será um ano de divisor de águas para a FURIA.

“A gente vem treinando muito. Viemos até um pouquinho depois das férias, por causa de umas coisinhas, mas colocamos muita qualidade nos treinos. Esse é um campeonato que a gente teve um pouco de dificuldade, mas estamos com muita vontade de vencer, como sempre. Esse ano é um ano de muitos desafios para se provar realmente como um bom time e estar no top 10 melhores times do mundo. Talvez vocês não vejam como é o nosso dia-a-dia, pois a gente acaba não postando muito sobre treinos e tal. Mas estamos dando o nosso máximo.”

FURIA e TheMongolz se enfrentam hoje, às 14h30, horário de Brasília, pela estreia da IEM Katowice 2024, em uma série melhor de um mapa. Será o primeiro jogo da equipe brasileira na temporada de 2024.


Assista também nossos vídeos. Neste aqui batemos um papo exclusivo com KSCERATO, que falou sobre arT reassumir a braçadeira da FURIA em 2024 e mais:

A Game Arena estará cobrindo presencialmente a IEM Katowice 2024. Acompanhe o torneio através das nossas redes sociais: TwitterYoutubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Counter-Strike 2

1

Counter-Strike 2

CS2: 100º torneio IEM não terá time do Brasil

2

Counter-Strike 2

CS2: FURIA anuncia retorno de bizinha

3

Counter-Strike 2

RMR Europa: três times brigam pela última vaga

4

Counter-Strike 2

CS2: jogador cria conceito de chaveiros à la Valorant

5

Counter-Strike 2

PGL Major: “patético”, vvv desabafa sobre transmissão