mais detalhes

Ex-funcionária da ProSkins revela que fer pagou salário após calote sofrido pela loja

Giovanna Garcia detalhou como era o operacional da ProSkins e contou como foi o sumiço do ex-sócio de fer, o português Rui

fer proskins

Foto: divulgação/ProSkins.

O assunto que ganhou o cenário brasileiro de Counter-Strike 2 no fim do mês passado, volta à tona. O calote que a dupla fer e boltz sofreu do português Rui Vieira, no projeto da ProSkins, teve um capítulo de bastidor até então não contado.

Giovanna Garcia, ex-funcionária da loja, entrou em contato com a Game Arena após a notícia viralizar nas redes sociais. Disposta a falar, ela contou detalhes de como foi trabalhar com Rui Vieira na ProSkins.

Ela afirmou que começou a prestar serviço para o site em março de 2021, bem no começo da loja, sendo convidada por Guilherme Gênova. Ela acabou ficando responsável pela parte de captar as imagens das skins para serem divulgadas no site.

Segundo ela, a demanda cresceu rapidamente e logo ela precisou de reforço, quando a ProSkins contratou o marido dela, Fabrício Madeira, para ajudá-la na função.

Era um trabalho bem específico, a gente ‘fotografava’ as armas e deixava bonitinha para ir para o site, fazendo a vitrine da loja online. A gente cadastrava essas imagens no painel do site. Teve épocas que entrava 700, 800 produtos todos os dias, contando com agentes e adesivos.” – disse.

LEIA MAIS:

Nessa época, ela mantinha contato direto com Rui Vieira, até ele se mostrar mais ausente no operacional da loja, assim como as contas da ProSkins. 

A gente percebeu que o Rui ficou mais distante, começou a atrasar pagamentos e não dar satisfação nenhuma. Nesse tempo entramos em contato com o Guilherme Gênova para saber se ele também tinha notícias do Rui e foi aí que ele também comentou que estava sem receber.” – disse.

Giovanna trabalhou na ProSkins, sem contrato, até agosto de 2023, saindo de lá sem receber o seu último salário. Desde então, ela não teve mais contato com Rui Vieira. Para receber o que lhe era devido, ela precisou entrar em contato com fer, que segundo ela foi “super atencioso” e prontamente quitou os valores em aberto do próprio bolso.

Não tínhamos contato direto com o fer e nem sei se ele sabia que a gente estava trabalhando na ProSkins. Mas eu estava tão perdida, sem saber como resolver, que mandei uma mensagem no Instagram dele contando o que tinha acontecido. E ele me pagou.” – concluiu.

Segundo Giovanna, o valor devido era de R$ 4.700 reais.

Atualmente, Giovanna e Fabrício são criadores de conteúdo gamer e fitness, abordando temas sobre ambos os mundos. Eles divulgam seus contatos através do @familiamadeira nas redes sociais.


Gostou de relembrar esse lance inusitado? Então veja mais um abaixo, no dia em que a G2 esqueceu de defusar a C4 e perdeu uma partida de Major:

Acompanhe a Game Arena nas redes sociais: TwitterYoutubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Counter-Strike 2

1

Counter-Strike 2

BetBoom Dacha: MIBR perde mais uma e está eliminado

2

Counter-Strike 2

IEM Dallas: Stewie2k é inscrito pela G2

3

Counter-Strike 2

CS2: cenário repercute possível saída de cadiaN da Liquid

4

Counter-Strike 2

IEM Dallas: primeiros confrontos são definidos

5

Counter-Strike 2

CS: o dia que um gato, chamado Emerson Sheik, atrapalhou uma transmissão de mundial