prejuízo

CS2: fer revela calote milionário de ex-sócio da ProSkins

Rui Vieira, português ex-sócio da loja, deu calote de mais de R$ 3 milhões em fer e Boltz

fer transferências

Foto: divulgação/ESL.

Fernando ‘fer’ Alvarenga falou, em detalhes, sobre o fim da ProSkins, pela primeira vez em sua participação no Flow Podcast, que foi ao ar na noite desta quinta-feira (25). Segundo o ex-jogador, um ex-sócio foi responsável pelo fim da loja após um calote milionário.

Rui Vieira, colecionador português e dono da então Portuga Skins, era sócio de fer e Boltz na ProSkins e responsável por todo o operacional da loja. No ano passado, ele roubou um inventário de R$ 3 milhões, confessou a fer e sumiu.

Eu e o Boltz estávamos querendo abrir uma loja de skins e fundamos a ProSkins juntos. Chamamos o Rui, colocamos um investimento lá, a loja estava vendendo R$ 1,5 milhões por mês, virou a maior loja de skin do Brasil, mas não estava tirando dinheiro para nós. Colocamos R$ 5 milhões de inventário, para depois tirar o dinheiro da loja. Quando estava chegando perto disso, o grande Rui roubou tudo.” – disse.

LEIA MAIS:

fer
Foto: divulgação/ProSkins.

fer ainda revela que Rui assumiu para ele que estava devendo, deu uma nova chance para o colecionador e que tinha outros negócios de sociedade com o português.

Ele já estava roubando a loja, vendendo skins por fora, pegando umas para ele e começou a sumir skin. Eu o confrontei e ele assumiu que estava roubando. Ele pegou R$ 3 milhões de inventário e sumiu.

Eu sei onde ele está. Ele assinou um contrato comigo e com o Boltz que ele está devendo, eu tinha entrado em outra sociedade com ele de loteamento. Ele me deve mais de R$ 3 milhões. Eu dei várias chances para ele, mas agora não vou ficar mais escondendo. Ele não só roubou eu e o Boltz, mas outras pessoas, como o Saulo. E a gente perdeu a loja e um patrimonio gigantesco. Haviam oferecido R$ 10 milhões para vender a loja e a gente não vendeu.” – concluiu fer.

A ProSkins foi fundada pela dupla fer e Boltz em março de 2021, ao lado de Rui Vieira e do colecionador Felipe ‘Grymmy’ Silva. Os jogadores investiram R$ 1 milhão em skins para a loja, que se tornou a maior do Brasil em pouco tempo. O calote aconteceu no ano passado e, desde então, a loja encerrou suas operações.


Assista também aos nossos vídeos. Neste aqui conversamos com felps, jogador da Imperial, antes da estreia na Pro League:

Siga a Game Arena nas redes sociais: TwitterYouTubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Counter-Strike 2

1

Counter-Strike 2

EWC 2024: “Não é interessante para mim”, yuurih sobre jogar em times internacionais

2

Counter-Strike 2

EWC 2024: “Deixou um grande vácuo”, s1n sobre saída de malbs da M80

3

Counter-Strike 2

EWC 2024: FURIA vence TheMongolz pela 1ª vez e avança aos playoffs

4

Counter-Strike 2

EWC 2024: sidde detalha quadro de saúde de chelo: “Está debilitado”

5

Counter-Strike 2

EWC 2024: nak desaprova resultados do MIBR: “Inaceitável”