entrevista

EPL S19: felps rechaça boa fase: “Não estou feliz com meu desempenho”

Jogador da Imperial, felps falou sobre maratona na GET Rio, confronto contra FaZe, momento da carreira e adaptação ao CS2

felps

Foto: Game Arena.

Após entrevista exclusiva do togs, jogador da Sharks, foi a vez da Game Arena falar com João ‘felps’ Vasconcellos, jogador da Imperial, antes da estreia da equipe na ESL Pro League Season 19 em Malta, contra a equipe da FaZe.

Participando do Grupo A da competição, a Imperial volta ao lobby já nessa terça-feira, dois dias após disputar a decisão da GET Rio 2024. Falando sobre isso, felps revela como a equipe chega para a disputa desse torneio após maratona de jogos no Rio de Janeiro e todo imbróglio envolvendo o torneio.

A gente chega um pouco cansado, sim, porque tudo foi bastante cansativo, tivemos que adiar nossa passagem, acabou que tivemos menos tempo para descansar. Mas, com relação à confiança, somos um time um pouco neutro. Sabemos que não estamos na melhor fase, pois estávamos vindo de resultados muito positivos e agora não ganhamos campeonatos e nem classificando. Mas, pelo menos, chegamos nas finais em LAN. Estamos neutros, feliz de estar aqui, um pouco cansado, mas vamos superar isso.” – revela.

Sobre a importância desse torneio para a Imperial, felps revela que foi positivo para a equipe disputar uma LAN e que o vice-campeonato não impacta na preparação e performance do time visando a ESL Pro League.

Serviu sim para ganhar mais experiência. LAN é LAN, independente de qual seja. Mas perder para a paiN não impact, pois do mesmo que ganharam da gente, já ganhamos deles, em torneios classificatórios para o Major. É um time muito bom, são top 15 do mundo, é normal perder, o jogo vai ter que ter um ganhador. Vamos aprender com os erros e tirar o melhor dessa GET Rio.” – disse.

Imperial na Pro League

Falando sobre o confronto contra a FaZe Clan, atual top 1 do mundo e adversário que a Imperial enfrentou no Major da Dinamarca, felps afirma que está mais preparado para esse confronto do que na Dinamarca e espera que o time saiba lidar melhor com o situacional.

Teremos uma Imperial mais experiente. Não sei como vai ser, são campeonatos diferentes, o jeito como as equipes chegam, a FaZe é a top 1 mundial, o jogo vai ser muito difícil, mas dá para tentar surpreender, já mostramos isso no Major e vamos tentar, pode ser que consiga, pode ser que não. É difícil prever, mas o que podemos falar é que sabemos como eles jogam. Já teve a primeira vez e, desta vez, estamos mais experientes para lidar melhor com as situações.” – afirmou.

LEIA MAIS:

felps
Foto: divulgação/PGL.

Sobre o que podemos esperar da Imperial no torneio, felps diz que não está muito preocupado em avançar aos playoffs, apesar de ser o objetivo. Para ele, o importante é continuar mostrando que o time é capaz de brigar no tier-S.

Estamos em um grupo bem difícil, é claro que os playoffs, é o objetivo de todo mundo, mas estamos focados em mostrar, mais uma vez, que estamos no mesmo nível, independente se vamos chegar nos playoffs ou não. Vamos enfrentar vários times bons, do top 20 mundial, e queremos mostrar e continuar pegando experiência. Não vou iludir a torcida ou nós mesmo, pois sabemos que o nível que estamos é um pouco abaixo do tier-S mundial.

Tivemos resultados bons, mas não conseguimos manter no período pós-major. Temos que ir com calma, voltar a ter paciência, pegar esses torneios para melhorar e aprender até sentir que estamos sólidos, aí conseguiremos almejar playoffs, semifinais e títulos. Para agora, precisamos pegar esses jogos para se manter constante.” – avaliou.

Momento da carreira e smoke do CS2

Felps é dono de um dos maiores ratings do Brasil na temporada 2024 e sua performance individual vem surpreendendo. Perguntado sobre isso, ele rechaçou a boa fase e afirmou que tem muito a melhorar.

Difícil dizer, na BOOM eu tive uma constância de números muito altos e impactantes. Foi diferente, mas aqui acho que foi melhor, pelo fato de estar jogando contra os melhores times do mundo e conseguir desempenhar bem contra eles. Ainda acho que falta muito para mim, não estou feliz com meu desempenho. Comecei bem o ano, dei uma decaída e esses campeonatos são os que gosto de jogar, em LAN contra os melhores do mundo. Aqui que você mostra. É um bom começo de ano, mas nada excepcional ainda, é preciso melhorar cada vez mais.” – analisou.

Finalizando a entrevista, felps contou como foi se adaptar a nova dinâmica da smoke no Counter-Strike 2. Ele diz que dificultou um pouco executar a sua jogada característica, mas que ainda funciona. 

Não precisei me adaptar muito. A Valve deu uma dificultada para mim nesse quesito, mas se o adversário não atira na smoke ou não tem HE, acaba que fica do mesmo jeito. E entrar e sair da smoke é mais uma questão de feeling, se você tem o timming certo, mesmo que ele esteja esperto, você acaba surpreendendo. Dificultou um pouco, mas quando você vai jogando bastante, você acaba pegando o jeito das coisas. Claro que, quando você joga contra o mesmo time, como agora contra paiN e MIBR, vai piorando cada vez mais, pois eles sabem. Mas quando você tem um intervalo nesse período de treinos, fica mais fácil para surpreender. Piorou um pouquinho, mas ainda funciona bastante.” – concluiu.

felps e a Imperial encaram a FaZe Clan nesta terça-feira, 23 de abril, às 13h30 da tarde, horário de Brasília, em confronto válido pelo Grupo B da ESL Pro League Season 19, em Malta.


Assista também aos nossos vídeos. Neste aqui conversamos com togs, jogador da Sharks, antes da estreia na Pro League:

Siga a Game Arena nas redes sociais: TwitterYouTubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Counter-Strike 2

1

Counter-Strike 2

EWC 2024: “Não é interessante para mim”, yuurih sobre jogar em times internacionais

2

Counter-Strike 2

EWC 2024: “Deixou um grande vácuo”, s1n sobre saída de malbs da M80

3

Counter-Strike 2

EWC 2024: FURIA vence TheMongolz pela 1ª vez e avança aos playoffs

4

Counter-Strike 2

EWC 2024: sidde detalha quadro de saúde de chelo: “Está debilitado”

5

Counter-Strike 2

EWC 2024: nak desaprova resultados do MIBR: “Inaceitável”