Deu entrevista em português

IEM Katowice: diretor da Spirit exalta comunidade BR: “muita paixão”

Diretor de marketing da Spirit, Konstantin deu entrevista em português e montou sua seleção brasileira de CS

Konstantino Diretor Spirit

Foto: Game Arena.

Antes do duelo contra a FaZe, a Game Arena teve a oportunidade de entrevistar Konstantin Machaidze, diretor de marketing da Team Spirit. O profissional, da Geórgia, comentou a respeito da sua relação com o Brasil e os brasileiros, por ter estudado e aprendido a falar português.

Em um papo bastante descontraído, o diretor começou se apresentando e contando sobre suas qualificações profissionais.

“Me chamo Konstantin, minha nacionalidade é georgiana, mas nasci em Moscou. Estudei na Universidade de Relações Internacionais de Moscou, patrocinada pelo Ministério de Relações Internacionais da Rússia, e por isso tive que estudar língua inglesa.” – contou.

Konstantin revela que, antes de entrar na Spirit, trabalhou em grandes empresas multinacionais e também com times de futebol. Ele elogiou a sua atual organização e os times nela.

“Depois da pós-graduação, comecei a trabalhar na Nike, em Moscou. Depois, trabalhei em times de futebol como o Spartak e o Zenit. E aí entrei na Spirit, em um período que tinham pessoas no marketing. Agora, somos vinte. E temos um time de Dota muito bom, somos campeões do mundo e nosso time de CS que é muito bom também. Por isso, temos muito trabalho por aqui.” – disse.

O diretor falou também sobre a sua vivência com a língua portuguesa e o porquê de ter aprendido o idioma. Ele ainda revelou se achou difícil aprender a falar português.

“Estudei português há quatro anos. Português econômico, português militar, muitas versões da língua, não lembro muito bem. Foi há muito tempo, mas se a falam lentamente, eu consigo entender. Mas não foi difícil, estudei bastante e é bem similar ao inglês.” – afirmou.

LEIA MAIS:

Konstantin também foi perguntado se a vivência com a língua fez diferença para ele durante a disputa do IEM Rio Major 2024, onde o diretor exaltou a torcida brasileira durante o evento.

“Quando fomos para o Rio, no Major, traduzimos nossos vlogs para português. Eu acho que a comunidade brasileira é muito importante, porque ela é muito grande e tem muita paixão. Se tiver outros torneios no Brasil, vamos continuar traduzindo nossos vlogs e nossas redes sociais para o português.” – contou.

Ainda sobre a torcida brasileira, o profissional exaltou a paixão dos torcedores e afirmou que o país tem potencial a voltar sem grande no CS, mas que é preciso tempo e juntar os melhores players na mesma equipe.

“A vibração foi imensa, mas só nos jogos da FURIA e dos times brasileiros. Equipes internacionais não tinha muita atenção da torcida, mas foi ótimo, eu conheci a FURIA House e os pontos turísticos. Acho que os brasileiros têm muita paixão e os times brasileiros podem ser muito poderosos, mas acredito que os jogadores estão em times diferentes. Acho que o super time pode ser formado, mas dar tempo é necessário.” 

Finalizando, o diretor de marketing montou a sua seleção brasileira de Counter-Strike: “KSCERATO é meu amigo, drop é o meu amigo, saffee, FalleN de rifle e yuurih, é um bom time.” – concluiu.


Assista a mais vídeos da Game Arena. Neste aqui, conversamos com guerri após a eliminação da FURIA de Katowice:

Game Arena estará cobrindo presencialmente a IEM Katowice 2024. Acompanhe o torneio através das nossas redes sociais: TwitterYoutubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Counter-Strike 2

1

Counter-Strike 2

IEM Dallas: FURIA domina clássico da “lei do ex” contra Imperial

2

Counter-Strike 2

RMR Europa: confrontos do Last Chance Qualifier, veja

3

Counter-Strike 2

RMR Europa: equipes do Decider são definidas; veja lista

4

Counter-Strike 2

RMR Europa: Heroic se classifica para o Major da Dinamarca

5

Counter-Strike 2

IEM Dallas: em boa fase, Imperial quer quebrar tabu contra FURIA