Playoffs

CBLOL 2024: “tentando ser um pouco mais sincero um com o outro”, diz CarioK após 3 a 1

Jogador profissional concedeu entrevista exclusiva para Game Arena

CBLOL 2024: "tentando ser um pouco mais sincero um com o outro", diz CarioK após 3 a 1

Foto: reprodução/Riot Games

O confronto entre paiN Gaming e KaBuM! Esports abriu os playoffs do primeiro split do CBLOL 2024 (Campeonato Brasileiro de League of Legends) de forma emocionante. A reportagem da Game Arena conversou exclusivamente com CarioK após vitória por 3 a 1 nesta sexta-feira (22).

Quem disser que o embate não foi, no mínimo, maluco — principalmente no último jogo, com os minions massacrando o Nexus e sendo uma jogada calculada por parte da equipe, só pode estar fora de si.

Entre altos e baixos, o caçador falou sobre a primeira vitória na série, em que o painzetes começaram com vantagem. Segundo o atleta, a dificuldade foi aproveitar os benefícios conquistados ao longo da partida.

“O primeiro game a gente tinha um draft que a gente entendia bem o que a gente queria, acho que a gente jogou bem até certa parte do game, só que eu acho que quando a gente conseguiu vantagem, a gente não consegui usar.”

“Acho que por isso que o jogo deu essa impressão de estar um pouco mais travado e eu acho que no primeiro game da série é um pouquinho mais normal  esse nervosismo, tentar ler mais o jogo, [ter] essa leitura [de game]”, conta.

Foto: reprodução/Riot Games

 

Para o jogador profssional painzete, se o elenco tivesse jogado de forma mais liberta, o embate teria sido diferente

“Mas eu acho que se a gente tivesse um pouquinho mais solto, a gente teria construído muito mais vantagem e pra mim acho que foi um dos problemas nosso hoje que foi é conseguir administrar nossa vantagem melhor”, completa.

Inside the Rift: o “problema” da paiN

Os fãs que acompanhajgem o Inside the Rift, série documental da organização sobre bastidores da competição, pode observar que discussões saudáveis aconteceram entre o elenco, sendo, uma delas, jogar bem em time.

“Nesse episódio a gente falou sobre muitas coisas, aí um dos pontos era que a gente não tava jogando bem time, mas ao meu ver, o individual é mais importante no momento.”

“Eu acho que quando a gente se encontrar individualmente, fazer boas partidas individualmente, a gente vai conseguir falar de time; é claro que a gente como time não tá perfeito também, mas eu acho que a gente tá no caminho certo.”

Foto: reprodução/Riot Games

 

Performar em fase de grupos e em playoffs são coisas distintas. CarioK entende quo time esta conseguindo se entrosar aos poucos e mira um futuro positivo.

“A gente conseguiu se entender bastante — a responsabilidade de cada um dentro do jogo —  e eu acho que quando a gente estiver bem individualmente, a gente vai tar bem em time…”

“Porque eu não acho que o nosso macro é ruim, eu acho que os nossas decisões são boas, mas acho que a gente com certeza está se conhecendo como o time; foi a nossa primeira série com esses cinco, eu espero que a próxima seja”, relata.

Vantagens vs fechar game

 

Ainda de acordo com o profissional, a pedra no sapato da paiN Gaming na estreia dos playoffs foi fechar as partidas. Mesmo garantindo vantagens, chegar ao Nexus não estava sendo uma tarefa fácil.

“Ao meu ver, acho que o mais difícil foi fechar os jogos. Eu acho que a gente conseguiu vantagens em três dos quatro jogos e eu acho que tava um pouquinho difícil da gente fechar.”

“Talvez por nervosismo, talvez pode ser a situação da comp também, mas a gente tem que ver, mas eu senti que era muito difícil acabar o jogo.”

“Eu não sei se eles estão duro de roer ou quê, mas tava demorando bastante os jogos, eu senti isso.”

“Acho que foi mais fechar os jogos, porque eu acho que a gente tava conseguindo construir vantagem de boas, só faltava finalizar o jogo melhor”, explica.

Humildade e reconhecimento

Foto: reprodução/Riot Games

 

Não dá para negar que CarioK é um dos atletas mais humildes do CBLOL quando o assunto é olhar para si mesmo e para sua própria equipe.

O caçador se avaliou mas não deixou de reconhecer o trabalho realizado pelos companheiros de equipe em disputa com os ninjas.

“Eu fiquei muito orgulhoso de como a gente foi suficiente jogando bem, porque eu avalio muito o meu individual, e eu não senti que eu tava fazendo bons jogos no começo e eu senti que o time segurou bastante; eu senti que a bot lane foi bastante independente.”

“Eu acho que eles jogaram bem todos os jogos. O Wizer, o dyNquedo também, eles conseguiram criar tempo para mim voltar no jogo em alguns momentos que eu tava atrás.”

“Eu fiquei bastante orgulhoso deles e eu só sinto agora que se eu jogar muito bem, acho que a gente é muito forte, porque eu sei que meus companheiros também são”, opina.

Com o resultado positivo na estreia dos playoffs, os painzetes encaram a Vivo Keyd Stars, que, inclusive, escolheu jogar contra o vencedor do embate.

A série MD5 (melhor de cinco jogos) acontece a partir das 13h, em 30 de março de 2024, na Arena CBLOL, em São Paulo.

LEIA MAIS

Amizade dentro e fora de Summoner’s Rift

Foto: reprodução/Riot Games

 

“Era pra ser o contrário, né? (risos) Mas eu não acho que é assim, eu acho que a personalidade nossa é sempre olhar para o próprio erro. Foi algo que a gente aprendeu com dinheiro, algo que é do nosso caráter também.”

“A gente perde um jogo… você não fica olhando ‘ah, o que o cara errou?’. Você só pensa primeiro no que você poderia ter feito e o que você pode fazer de melhor.”

“A gente tinha muita essa filosofia… esse pensamento, só que a gente chegou à conclusão que talvez seja bom cobrar o seu parceiro ali…”

“porque às vezes ele errou um bagulho que ele não dá tanta importância, mas se você mostrar o quão importante é, talvez ele fique mais atento no próximo jogo e tal”

“E querendo ou não, a gente tem que melhorar juntos. Eu sei que todo mundo se cobra bastante, mas às vezes você não consegue ver claramente um erro ou você não dá tanta importância.”

“Por exemplo, quando acaba o jogo… eu só penso no que eu errei, no que eu poderia ter de melhor, porque é a única coisa que eu tenho certeza e clareza.”

“Eu não gosto de ficar falando de cabeça quente: ‘ah, porque que aconteceu isso e tal”, mas às vezes acho que é bom porque cria uma discussão e nessa discussão você acha uma solução; você acha, às vezes é um problema, às vezes não é”.

“A gente está tentando ser um pouco mais sincero um com o outro também e, mesmo que seja um pouco na emoção, às vezes, às vezes vale a pena, porque  às vezes você tá meio emocional, mas aí você vê que não foi nada e você se acerta”

“Com certeza a gente é bastante amigo, principalmente eu, Wizer e dyNquedo. A gente passou por muita coisa junto”

“Então, a gente tem essa proximidade e a gente entrou num consenso que era bom você falar se alguma coisa foi estranha no jogo para a gente melhorar também”CarioK


Se você gostou deste conteúdo em texto, veja também nossos vídeos. Neste aqui, entrevistamos a Minerva, da Ilha das Lendas sobre carreira como streamer, o Gayssip da Semana, representavidade e mais , confira:

Acompanhe a Game Arena nas redes sociais: TwitterYoutubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em League of Legends

1

League of Legends

LoL: “vai vir melhor”; Revolta explica retorno de BrTT

2

League of Legends

LoL: nova skin da Ahri de Faker deve chegar neste mês

3

League of Legends

LoL: região da LCK estava sete anos sem vencer um MSI

4

League of Legends

MSI 2024: recorde de brTT é quebrado

5

League of Legends

MSI 2024: Gen.G é campeã e Chovy fatura 1ª mundial da carreira