Regras restritivas

CS2: Gaules lamenta novas regras do RMR: “Quis trazer mais qualidade”

Influenciador explicou para comunidade como regras irão impactar na transmissão

CS2: Gaules lamenta novas regras do RMR: "Quis trazer mais qualidade"

Foto: reprodução/Acervo Pessoal

Com as novas regras adotadas pela PGL para a transmissão do Major Copenhagen de CS2 (Counter-Strike 2), algumas possibilidades foram reduzidas para a realização de watchparties. Uma das lives que sofreu com isso foi a de Gaules, que comentou sobre o assunto em live.

Segundo a própria PGL, as novas regras seguem uma linha de transmissão que deve ocorrer, a partir de agora, de “forma não comercial”. Em uma live, Gaules — que está sendo impactado pela novidade — lamentou as decisões tomadas.

De acordo com o criador de conteúdo, lhe foi informado que o autodirector — ferramenta utilizada como um cameraman automático — não pode ser utilizado por um provável problema no próprio game.

Outras novidades, que agradaram pouco o streamer e seu público, também surgiram:

“No server aqui do Major não está funcionado. Os caras falaram que é um problema do CS2 e não tem o que fazer. Então, não tem o autodirector funcionando.”

“Para a gente tentar solucionar isso, a gente falou: ‘pô, vamo botar um cameraman e fazer um feed para a galera acompanhar com uma qualidade um pouco melhor, tal e não sei o quê'”.

“Não pode mais ter esse feed compartilhado. Eu posso até ter um cameraman para fazer aqui, mas esse feed eu não posso compartilhar com outras pessoas. Tá tudo bem”, desabafou.

 

LEIA MAIS:

 

Além disso, o influeciador também passa por outra dificuldade na hora de transmitir os jogos. Gaules também comentou que tanto os melhores momentos, quanto o replay não são mais uma opção.

“O replay e melhores momentos, essas coisas, também não tinha nada escrito e definido. A gente quis trazer um pouco mais de qualidade, fizeram esse update, essa atualização e não vai poder ter replay, que não vai poder ter essa estrutura e tá tudo bem.”

“No final das contas, a gente vai tentando trazer o melhor para a comunidade”, disse.

Veja na íntegra, as novas diretrizes estipuladas pela PGL:

“Transmissões da comunidade precisam ser feitas de uma forma não comercial. Os streamers da comunidade não têm permissão para usar recursos de transmissão profissionais em nível de estúdio (ou seja, feed de transmissão centralizada, replays, destaques, etc.), nem podem ter um cenário físico com vários talentos.

Os patrocínios nas seguintes categorias não podem ser exibidos em sua sobreposição de stream ou na página do canal (painéis Twitch, bate-papo etc.): Empresas que geram receita por meio de atividades que dependem das economias de jogos da Valve, como revendedores de chaves ou empresas que interagem com Inventários de jogos da Valve (como skins, cases, chaves), além de apostas, monitores e cadeiras gamers.”


Assista a mais vídeos nossos. Neste aqui, conversamos com Américo, Manager da Legacy de CS2, que detalhou o nascimento da organização e futuro do time de Counter-Strike:

Siga a Game Arena nas redes sociais: TwitterYoutubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Counter-Strike 2

1

Counter-Strike 2

CS2: jogada de Scout com tiros impossíveis viraliza nas redes

2

Counter-Strike 2

CCT Finals: MIBR perde em partida emocionante e está eliminado

3

Counter-Strike 2

CS2: Lucas1 anuncia nascimento do primeiro filho

4

Counter-Strike 2

CS2: primeiro Major de 2025 deve ser nos Estados Unidos

5

Counter-Strike 2

CS2: MOUZ não teve nenhum MVP nos últimos 6 títulos conquistados