novo desabafo

Major Copenhagen: biguzera detalha problemas com a PGL: “Nunca passei por isso”

Após desabafo em live, biguzera falou com a Game Arena sobre problemas no Major, capitão, carreira e confrontos de amanhã

biguzera

Foto: Game Arena.

Após a derrota para a Eternal Fire no segundo jogo do dia, Rodrigo ‘biguzera’ Bittencourt, capitão da paiN Gaming, desabafou na live de Gaules criticando a PGL pela organização do campeonato.

Na ocasião, o jogador falou que a paiN foi prejudicada pela organização, pois não teve tempo de se preparar para o confronto contra a equipe turca. Em entrevista a Game Arena, o jogador voltou a abordar o tema e detalhou o acontecido.

A PGL é uma organizadora que não concordo com muitas coisas que fazem, eles não estão preparados para um campeonato desse. Hoje, na minha opinião, interferiram direto no nosso jogo, porque é um absurdo a gente não saber nosso adversário, assim que acaba o jogo eles mandam mensagem falando que em 15 minutos vai começar o jogo e tínhamos que se preparar. Jogamos o mapa sem saber nada sobre a Eternal Fire, sem fazer ideia do que os caras faziam.” – detalhou.

Ainda sobre o assunto, o jogador dos tradicionais comparou o ocorrido no hoje com o último Major que disputou, o BLAST.tv Paris Major 2023, onde lá na França, o time tinha mais tempo de se preparar para as práticas.

Falo isso para a galera entender melhor como que funciona. A gente jogou o Major de Paris que era da BLAST e, por exemplo, assim que acabou, poderia saber o nosso jogo. Tinha um intervalo de uma hora, para podermos estudar o nosso adversário, saber algo sobre eles. Aqui, estávamos totalmente perdidos na hora do veto, tanto nós, quanto eles. Nunca passei por essa situação. O veto demorou 10 minutos, coisa que deveria ser 30 segundos. Foi ridículo.” – revelou.

Biguzera capitão de uma paiN subestimada

biguzera
Foto: divulgação/PGL.

Mudando o teor da entrevista, biguzera falou sobre como está sendo a sua função como capitão da equipe. Ele disse que, nessa partida contra a Eternal Fire, acabou não desempenhando sua função, pois não sabia o que o time turco fazia.

É mais controlar os blocos do time, a gente jogou como se fosse cinco jogadores normais, eu não parecia capitão, pois eu não sabia o que eles [Eternal Fire] faziam. Não tinha plano de jogo. Entramos perdidos no game, em um mapa que é muito TR, e acabamos sendo punidos pela falta de conhecimento. Não tiro o mérito deles, você acha que se tivesse começado do outro lado, poderia ter sido ao contrário e o outro time seria prejudicado. Tenho certeza disso, se tivéssemos começado de TR, o jogo seria muito diferente.” – contou.

LEIA MAIS

Perguntado se a paiN Gaming é subestimada pelas pessoas, ele crava que sim, mas não entende o porquê dos tradicionais ainda não terem a confiança da comunidade. biguzera relembra que o time está sempre surpreendendo.

Tem que respeitar a paiN, sempre surpreende. Somos um time que pode ganhar de qualquer um, temos mira, temos pessoas por trás que fazem um trabalho legal. Acredito que costumamos a surpreender, fazemos isso há anos. Acho que as pessoas têm que parar às vezes de olhar com surpresa para nós. Ganhamos da Apeks, eles já ganharam de outros times melhores ou do mesmo nível. Tem que ter um pouco desse olhar. Estamos jogando com uma inconstância nos nossos jogos, às vezes jogamos bem e às vezes mal, mas se conseguirmos manter o mesmo nível, vamos começar a evoluir e ter melhores resultados.” disse.

Carreira e sequência no Major

Sobre a sua identificação com a paiN, biguzera falou que se sente muito orgulhoso da próxima trajetória tendo no Counter-Strike vestindo a camisa da equipe há 5 anos. 

Fico orgulhoso da minha trajetória aqui na paiN, venho construindo uma história legal, tenho admiração pela minha própria carreira, porque hoje é difícil ter um jogador que fica tanto tempo em um time. Sou um cara que prezo por isso, por estar bem na organização, sempre tive essa ideologia e me orgulho de ter conseguido manter o foco e a paciência.” – afirmou.

Finalizando, ele revela que é preciso passar uma borracha no que aconteceu hoje e seguir focado para os próximos dias do Major em busca de uma vaga na fase Legends do torneio.

É uma situação muito atípica, nunca tínhamos passado por isso, mas, bola para frente. Temos nossa parcela de culpa, mas não é total. Então, muito disso tem que ser esquecido, não tem que ficar se remoendo por esse jogo, foi bem ruim, mas temos que seguir e pensar no amanhã.” – concluiu. biguzera


Veja também nossos vídeos. Neste aqui conversamos com HEN1 após vencer na estreia:

Game Arena está cobrindo presencialmente o PGL CS2 Major Copenhagen 2024. Siga as nossas redes sociais para ficar por dentro de tudo que acontece no mundial: TwitterYoutubeInstagramTik TokFacebook Kwai.

COMPARTILHE

Bombando em Counter-Strike 2

1

Counter-Strike 2

CS2: Gaules faz proposta para arT com a G3X

2

Counter-Strike 2

Os recordes mais bizarros para você quebrar no Counter-Strike 2

3

Counter-Strike 2

CS2: jogador ucraniano é banido da FACEIT por trapaça

4

Counter-Strike 2

EPL S19: Imperial é derrotada pela FaZe na estreia

5

Counter-Strike 2

EPL S19: Sharks perde para Vitality em estreia