Futebol

Adiamento do Brasileirão reflete no calendário; entenda os cenários de remarcação

Jogos do Brasileirão só devem retornar em 1º de junho

Brasileirão: Gramado do Beira-Rio, do Internacional, afetado pelas chuvas no Rio Grande do Sul

Divulgação/SC Internacional

Em meio aos impactos da chuva no Rio Grande do Sul, a CBF oficializou o adiamento de duas rodadas do Brasileirão, mas já sabe que deve ter dor de cabeça para realocar todos os jogos que precisam ser remarcados no campeonato, em meio a um calendário já apertado.

Ao todo, já são 28 partidas adiadas no Brasileirão, fora os jogos dos gaúchos na Copa do Brasil, nos torneios continentais e nas Séries C e D. Além dos jogos suspensos da 7ª e da 8ª rodada, o calendário também terá que realocar Cuiabá x Vitória (2ª rodada), Criciúma x Fortaleza (3ª rodada), Grêmio x Criciúma, Cruzeiro x Internacional, Juventude x Atlético-GO (5ª rodada), Internacional x Juventude, Atlético-MG x Grêmio e Criciúma x Cuiabá (6ª rodada). Pelo cenário atual, a retomada do campeonato aconteceria na 9ª rodada, marcada para 1º de junho, daqui a duas semanas.

Na prática, porém, ainda é impossível saber as condições de retorno do Brasileirão. Os times gaúchos já retomaram os treinamentos, mas os estádios da capital dificilmente terão condição de jogo até lá, assim como o Aeroporto Salgado Filho, principal do estado, pode seguir inoperante por mais algum tempo. Assim, essa conta de partidas atrasadas ainda pode aumentar – até porque outras situações inesperadas podem ocorrer Brasil afora nos meses seguintes para refletir na programação do campeonato.

Depois desse retorno previsto para o dia 1º, há uma semana e meia sem jogos previstos, mas a realocação nessas datas também será complicada, já que a Conmebol remarcou os jogos adiados de Grêmio (na Libertadores) e Internacional (na Sul-Americana) justamente para os dias 4 e 8 de junho. Assim, há algumas possibilidades de realocação de jogos, mas o cenário é complexo em todas elas, com tendência a termos partidas durante as datas Fifa.

Datas Fifa

Caso o Brasileirão previsse uma parada para a Copa América, seria mais fácil realocar jogos em paralelo ao torneio, que começa daqui a um mês, mas esse não será o caso. Com poucas janelas sem jogos, os períodos reservados para as Eliminatórias da Copa do Mundo podem ser alternativas, mesmo com times desfalcados, o que sempre gera críticas por parte dos clubes.

Há três datas Fifa marcadas para o 2º semestre: 2 a 10 de setembro, 7 a 15 de outubro e 11 a 19 de dezembro – essa última já depois do fim do Brasileirão, marcado para o dia 8. Nessas duas primeiras datas, há a possibilidade de remarcação de quatro partidas – o que não abarcaria todas as partidas, mas conseguiria ajustar a maior parte da lacuna. Ainda assim, isso custaria períodos de descanso e regeneração de jogadores, além da possibilidade de choque de datas com outros eventos marcados para estádios e arenas.

Adiamento no Brasileirão

A possibilidade de ampliar a disputa por mais uma semana também seria uma alternativa, mas esbarra no calendário. Isso porque o caso um brasileiro seja campeão da Copa Libertadores, como vem acontecendo desde 2019, esse time terá compromissos internacionais no fim do ano, com a disputa da nova Copa Intercontinental da Fifa. E será impossível fazer qualquer planejamento maior sobre isso, já que a final da Libertadores está marcada apenas para 30 de novembro, uma semana antes do fim do Brasileirão.

Depois, o time que vencer a Liberta ainda enfrenta o campeão da Concacaf em um playoff, antes da fase final da Copa Intercontinental, que já começa no dia 14 de dezembro, em um país-sede ainda não anunciado. Outro reflexo de um possível adiamento seria o consequente adiamento das férias dos jogadores, o que, por sua vez, poderia refletir no calendário de 2025. O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, apontou esse como um dos fatores determinantes para não adiar. “O objetivo é terminar o calendário em 2024, senão impacta ainda mais no calendário de 2025, que já está bastante cheio”, afirmou ao canal SporTV.

Encaixes após eliminações

Para equipes específicas, outra solução viável é a remarcação de jogos para os fins de semana, ao passo que elas forem sendo excluídas das demais competições (Libertadores, Sul-Americana, Copa do Brasil e Copa do Nordeste). Essa, inclusive, deve ser a estratégia utilizada para remarcar os jogos de São José, Ypiranga e Caxias na Série C, uma vez que o time de Erechim é o único desses que tem outra disputa no calendário (segue vivo na Copa do Brasil, após vencer o Athletico-PR por 2 x 1 na ida da 3ª fase).

Nesse cenário complexo, de 28 partidas adiadas, os times com a agenda mais afetada são Criciúma (5), Internacional, Juventude, Grêmio, Cuiabá (4), Vitória, Fortaleza, Cruzeiro, Atlético-GO e Atlético-MG (3), enquanto os demais 10 clubes do Brasileirão estão com apenas duas rodadas adiadas. Desses, a maioria tem compromissos em outras competições, o que seguirá preenchendo os meios de semana até segunda ordem, impossibilitando qualquer planejamento maior sobre essas datas para vários times. Em caso de avanços da dupla Gre-Nal na Copa do Brasil e nos torneios continentais, por exemplo, não haveria data disponível para realocar todos esses jogos apenas aí.

COMPARTILHE

Bombando em Esportes

1

Esportes

Arena Números: Balanço financeiro de 2023 dos times de futebol

2

Esportes

Mercado de técnicos europeu: confira a ‘dança das cadeiras’ entre os gigantes para a próxima temporada

3

Esportes

Com reencontro marcado entre Anderson Silva e Chael Sonnen, relembre a história da rivalidade

4

Esportes

Bayer Leverkusen pode se juntar ao seleto grupo de campeões invictos da Europa League; confira

5

Esportes

Copa do Brasil tem dia decisivo, com seis times a caminho das oitavas de final